Email: Roseli Abrão

Blog: terça-feira, 20 de setembro de 2011

14:15:27

Caito rebate Requião

O líder da bancada do PMDB na Assembléia Legislativa, deputado Caito Quintana, rebateu as acusações do senador Roberto Requião que, na segunda-feira, gravou áudio para dizer que se “envergonha” dos parlamentares de seu partido que, segundo ele, se “calam” diante da “reprivatização” da Sanepar.

Segundo Caíto, Requião não conhece a realidade dos debates porque não acompanha de perto o que acontece na base do PMDB no Paraná.

O PMDB está apenas seguindo princípios, disse o líder do PMDB.

-- Ele (Requião) está absolutamente desconhecendo qual é a atitude da bancada do PMDB e que tipo de conversa a bancada teve e muito mais, ele está desconhecendo o que está acontecendo com o PMDB do Paraná que estava naufragando devido a uma briga estúpida entre os dois ex-governadores do PMDB, disparou.

Caito lamenta que desde que a bancada do PMDB decidiu pela aproximação ao Governo do Estado, os deputados tem sido alvo de constantes críticas de Requião e também do ex-governador Orlando Pessuti.

Entre os temas abordados constantemente pelo senador estão à privatização das empresas públicas e prorrogação dos contratos do pedágio nas rodovias do Estado.

-- O PMDB não apoia a privatização nem da Copel, nem da Sanepar e graças a isto o governador Beto Richa retirou o projeto da Agência Reguladora que estava na Assembleia. Não aprovamos renovação de prazo de contrato de pedágio. Portanto, somos fiéis aos nossos princípios, completou.

Só até amanhã

Termina nesta quarta-feira – dia 21 – o prazo para que políticos, detentores de mandatos, se filiem ao PSD sem correr o risco de cometer infidelidade partidária.

Depois disso, correm o risco de serem processados por seus partidos de origem, que podem invocar a lei que determina que o mandato é do partido.

Quem se filiar até amanhã será considerado “fundador” do PSD, portanto, estará coberto pela legislação eleitoral.

Sistema misto na eleição de vereadores

O deputado Eduardo Cunha, do PMDB do Rio de Janeiro, quer implantar o sistema misto na escolha de vereadores já nas eleições do ano que vem.

Ele apresentou uma Proposta de Emenda Constitucional que determina que metade das vagas seja preenchida pelo sistema proporcional, em listas fechadas, e a outra metade pelo sistema majoritário.

Segundo matéria da Agência Câmara, o texto também prevê a realização de plebiscito na data correspondente ao segundo turno das eleições de 2012, com o objetivo de definir como serão preenchidas as vagas de deputado federal, deputado estadual, deputado distrital e vereador nas eleições posteriores.

Entre as possibilidades está a eleição pelo sistema proporcional em lista fechada, pelo sistema majoritário ou por ambos (misto), de forma idêntica ao que a proposta estabelece para as eleições municipais em 2012.

-- A reforma política deve caminhar para fortalecer ainda mais a capacidade de fiscalização, controle e cobrança dos representados sobre seus representantes, disse Cunha.

Segundo ele, “o caminho para esse objetivo é conhecido: o voto distrital, na sua forma pura ou mista”, defendeu.

Segundo o autor, várias são as possibilidades de operar o voto distrital, seja no sistema majoritário ou proporcional, e a proposta tem como objetivo recuperar essa alternativa para discussão e deliberação, no momento em que se aproxima o desfecho das decisões sobre a reforma política.


Blog: segunda-feira, 19 de setembro de 2011

13:12:26

Requião diz que se envergonha da bancada do PMDB na AL

O senador Roberto Requião dedicou seu áudio desta segunda-feira para denunciar a “reprivatização” da Sanepar, já que, denunciou, o governador Beto Richa restabeleceu o acordo com o grupo Dominó, dando “para o sócio privado o controle técnico e financeiro da empresa”.

Mas, mais do que isso, o senador lamentou o “silêncio” da bancada do PMDB na Assembléia Legislativa.

Requião lembrou a longa batalha de seu governo (2003-2010) para impedir que o sócio privado da Sanepar, o Consórcio Dominó, mesmo que minoritário, comandasse a empresa, conforme acordo de acionista feito por Jaime Lerner. Agora, disse ele, Beto Richa “retoma o acordo, entregando a empresa para o sócio privado, que, logo em seguida aumenta a tarifa da água e do esgoto, dobra a distribuição de lucro, beneficiando-se”.

-- Tudo isso, sem reação do PMDB paranaense, lamentou Requião.

Segundo o senador, “pior ainda” é que a Sanepar “fala em aumentar em mais 33 por cento a tarifa, prejudicando ainda mais os consumidores”.

-- O acordo feito entre a Sanepar e o sócio minoritário, que agora é revivido, além de dar ao Consórcio Dominó o comando da empresa, definia também como principal objetivo da Sanepar a maximização dos lucros dos acionistas e não a expansão dos serviços públicos de água e esgoto, disse.

Outra “providência” do Consórcio Dominó no comando da Sanepar, segundo o senador, foi diminuir, ao ponto da quase extinção, a tarifa social, instituída no seu primeiro governo (1991-1994), fornecendo água e esgoto tratados a preços quase simbólicos às famílias mais pobres.

Esse programa foi retomado e expandido por Roberto Requião entre 2003 e 2010, com o afastamento do sócio privado do comando da estatal. Requião lembrou que, sob o mandato de Itamar Franco, o governo de Minas Gerais conseguiu anular na Justiça um acordo de acionista na Cemig, estatal de energia, devolvendo o comando da empresa ao Estado, o que não aconteceu no Paraná, embora as casos fossem idênticos.

Sete paranaenses na elite do Congresso Nacional

Sete parlamentares paranaenses – dois senadores e cinco deputados federais – integram a lista do Diap – Departamento Intersindical de Assessoria Parlamentar – que todos os anos seleciona os 100 “Cabeças” do Congresso Nacional.

São os senadores Roberto Requião (PMDB) e Alvaro Dias (PSDB) e os deputados Abelardo Lupion (DEM), André Vargas (PT), Dr. Rosinha (PT), Osmar Serraglio (PMDB) e Rubens Bueno (PPS).

Na classificação do Diap, que é um órgão de assessoria parlamentar dos sindicatos brasileiros, e que fiscaliza o desempenho de deputados e senadores, Requião e Alvaro se destacam como debatedores, assim como Andre Vargas e Dr. Rosinha. Lupion é destacado como negociador e Serraglio e Rubens Bueno como articuladores.

Entre os 100 "Cabeças" do Congresso, há 62 deputados e 38 senadores. Os dois partidos com maior número de parlamentares na elite são o PT, com 27 nomes, detentor de maior bancada na Câmara dos Deputados e o PMDB, segunda maior bancada, com 14. Na terceira posição em número de parlamentares está o PSDB, com 13 nomes.

A lista completa dos 100 “Cabeças” está no site www.diap.org.br

STF julga Takayama

O Supremo Tribunal Federal julga na próxima quinta-feira três processos envolvendo parlamentares, entre eles do paranaense Hidekasu Takayama, do PSC (os outros são contra o deputado Paulo Maluf e o senador Lindergh Farias).

Takayama é investigado por crimes de peculato ou de estelionato qualificado, num esquema denominado “gafanhotos” na Assembleia Legislativa do Paraná, com sonegação de tributos federais.

Segundo o STF, o parlamentar nega a acusação. Ele, inclusive, já pediu o trancamento do inquérito, quando o processo era relatado pelo ministro Carlos Alberto Menezes Direito.



Blog: sexta-feira, 16 de setembro de 2011

18:56:40

Samek é, agora, eleitor de Foz do Iguaçu

O diretor brasileiro da Itaipu Binacional, Jorge Samek, tem novo domicilio eleitoral.

Samek transferiu seu titulo de eleitor de Curitiba para Foz do Iguaçu e deve ser o candidato do PT à sucessão do prefeito Paulo Mac Donald Ghisi.

Samek foi eleito vereador em Curitiba por quatro vezes, a primeira vez pelo PMDB. Está no PT desde 1990. Engenheiro Agrônomo, Samek foi candidato ao governo do Paraná em1994. Em 2.002 foi eleito deputado federal, mas renunciou ao mandato para assumir Itaipu.

CPI da Corrupção não avança

A CPI mista do Congresso Nacional proposta para investigar as denúncias de corrupção no governo federal não avança.

Lançada em agosto e reforçada com a marcha realizada no dia 7 de setembro, continua com o mesmo número de assinaturas.

Até agora, assinaram o requerimento 129 deputados e 20 senadores. Para que a CPI seja instalada são necessárias mais 49 assinaturas: 42 deputados e sete senadores.

Da bancada paranaense apenas onze parlamentares assinaram a CPI. Os senadores Roberto Requião (PMDB) e Alvaro Dias (PSDB) e os deputados Abelardo Lupion (DEM), Eduardo Sciarra (PSD), André Zacharow (PSD), Alfredo Kaefer (PSDB), Fernando Francischini (PSDB), Fernando Giacobo (PR), Luiz Carlos Setim (DEM), Hidekasu Takayama(PSC) e Rubens Bueno (PPS).

O endereço http://cpidacorrupcao.blogspotcom lista todos os deputados e senadores que já assinaram o requerimento, inclusive abre espaço para apoio da população.

PPS disputa prefeituras de 13 Capitais. Curitiba está na lista

O portal do PPS paranaense traz a relação das 13 Capitais onde o partido pretende lançar candidatos próprios às eleições do ano que vem.

Para Curitiba lista os nomes do presidente estadual do partido, deputado federal Rubens Bueno, e de sua filha, a vereadora Renata Bueno.

Além de Curitiba, o PPS pretende lançar candidatos em Porto Velho, São Paulo, Belo Horizonte, Recife, Vitória, Manaus, Florianópolis, Campo Grande, Aracajú, Macapá, Recife e Rio de Janeiro.

Pelo voto aberto

Será relançada na semana que vem, na Câmara Federal, a Frente Parlamentar em Defesa do Voto aberto. A iniciativa é do deputado Ivan Valente, do PSOL, que já contabiliza apoio de 190 parlamentares.

A primeira ação da Frente Parlamentar será cobrar o presidente da Câmara, deputado Marco Maia, que coloque em votação a PEC 349/2001.

Parada na Casa desde 2006, a PEC institui o voto aberto na Câmara e no Senado e foi aprovada em primeiro turno na Câmara por unanimidade – 393 votos a favor e nenhum contra –, mas ainda precisa ser apreciada em segundo turno, com 3/5 dos votos favoráveis (308).

Sendo aprovada, segue para o Senado.

O relançamento da Frente Parlamentar, segundo Ivan Valente, ganhou força após a absolvição, no final de agosto, da deputada Jaqueline Roriz, que não teve seu mandato cassado, apesar de ter sido flagrada em vídeo recebendo dinheiro de esquema do mensalão do DEM no Distrito Federal. Pedidos de cassação são um dos assuntos nos quais a votação é secreta, atualmente.

Elite sim, mas intelectual

O presidente do PSD de Curitiba, deputado Ney Leprevost, nega que seu partido nasce com a pecha de “elitista”.

-- Não é um partido elitizado. Pode ser uma elite intelectual, diz ele, referindo-se à filiação de 172 lideranças de sindicatos de trabalhadores no Paraná, entre eles Paulo Rossi, da União Geral dos Trabalhadores.

À espera de Stephanes

O PSD, que já tem dois deputados federais – Eduardo Sciarra, que veio do DEM, e André Zacharow, que deixou o PMDB – está à espera do deputado Reinhold Stephanes, do PMDB.

Stephanes Júnior já avisou que não vai para o PSD.


Blog: quinta-feira, 15 de setembro de 2011

12:48:43

Marcelino espera Fruet até 2º feira, do contrário deixa o PDT

O vereador Jairo Marcelino disse em entrevista a emissoras de rádio que espera até segunda-feira pelo ingresso do ex-deputado Gustavo Fruet no PDT. Caso isso não aconteça, deixará o partido.

Ele argumentou que com apenas três vereadores o PDT não terá chances nas eleições do ano que vem e que não há tempo hábil para a formação de uma chapa.

O vereador não confirmou se o destino será o PSD.

Já o vereador Roberto Hinça confirmou o convite do PSD.

Segundo ele, está avaliando o convite e que ainda não há uma decisão até porque, disse, o partido aguarda uma definição do ex-deputado Gustavo Fruet.

De qualquer forma, disse, a sua permanência no PDT ou a chegada de Fruet “não tem nada a ver com qualquer decisão futura”.

Teoria da conspiração

O dirigente pedetista Valmor Stédile manda comentário ao site dizendo que não passa de “factóide” a notícia que haveria um movimento para “desmontar” do PDT em razão da iminente chegada do ex-deputado Gustavo Fruet.

-- O que tentam fazendo versões sobrepor aos fatos é complicar os entendimentos entre o Partido Democrático Trabalhista e Gustavo Fruet, que desde o início do ano andam muito bem graças à condução partilhada pelas estruturas partidárias (municipal, estadual e nacional) com apoio total dos pedetistas, inclusive dos três vereadores que representam a legenda na Capital, disse.

Osmar já sabia

A informação de que os dois vereadores do PDT estão de malas prontas para o PSD já é de conhecimento do presidente estadual do partido, ex-senador Osmar Dias.

Este foi, inclusive, um dos temas da conversa com Fruet, na tarde de quarta-feira, em Brasília.

Quem conhece Gastão Vieira?

A indicação do deputado maranhense Gastão Vieira para o Ministério do Turismo desperta a curiosidade de alguns políticos.

Afinal, quem é Gastão Vieira, que tem em seu currículo uma ligação estreita com o presidente do Senado, José Sarney.

Os senadores paranaenses Roberto Requião, do PMDB, e Alvaro Dias, do PSDB, fazem a pergunta.

-- Qual é o currículo de Gastão Vieira na área de turismo? Vai mandar, cada um fará o que quer e ninguém ira obedecer? Perguntar ofende? questiona Requião, que complementa: “Será um ministro, ou turista em rápida passagem pelo ministério?”

-- Enfim, bem feito ou mal feito, vamos ver a que veio o novo Gastão. Dirá o tempo, disse Requião.

Da mesma forma, Alvaro quer saber quem é o novo ministro.

-- Eu não conheço, o Brasil não conhece, não sei se Dilma conhece, mas é ministro do Turismo indicado pelo PMDB de Sarney.

Se querem assim, que seja

O presidente nacional do PMDB, senador Valdir Raupp, aceitou as explicações dos deputados do partido que foram a Brasília para comunicar a adesão ao governo Beto Richa.

É o que assegura o deputado Nereu Moura, que reportou que Raupp “não se opõe ao crescimento do partido e que em diversos estados o PSDB é parceiro do PMDB”.

Raupp teria dito que “se for uma atitude visando fortalecer a sigla em âmbito estadual, a executiva nacional não tem motivos para contrariar, já que o desejo é que o PMDB se fortaleça para enfrentar as disputas eleitorais”.

A caravana que foi a Brasília era integrada pelos deputados Nereu Moura, Caito Quintana, Waldyr Pugliesi, Alexandre Curi e Ademir Bier.

Além de Raupp, os deputados se encontraram com os senadores Roberto Requião e Sérgio Souza, e com os deputados Moacir Micheleto e Osmar Serraglio.

Nesta quinta-feira, os cinco deputados do PMDB têm encontros com o vice-presidente da República, Michel Temer, e com a ministra-chefe da Casa Civil, Gleisi Hoffmann.


Blog: quarta-feira, 14 de setembro de 2011

15:14:35

Preview

O desmonte do PDT de Curitiba

Começou o desmonte do PDT de Curitiba. Na segunda-feira os vereadores Roberto Hinça e Jairo Marcelino se filiam ao PSD, que nasce aliado ao prefeito Luciano Ducci e ao governador Beto Richa.

Fica no partido apenas o vereador Tito Zeglin que, dos três, sempre foi o mais próximo do presidente estadual do partido, ex-senador Osmar Dias.

Leia mais daqui a pouco na coluna de Roseli Abrão

PSD convida filhos de Pessuti

O PSD, que no Paraná deve ser um aliado do governador Beto Richa, convidou os dois filhos do ex-governador Orlando Pessuti – Moisés e Bruno – para se filiarem ao partido.

O convite partiu de Pedro Guerra, filho do ex-ministro e ex-deputado Alceni Guerra, hoje secretário da Representação do Paraná em Brasília.

Na semana passada Pessuti adimitiu a saída de seus filhos já que um deles será candidato a vereador em Curitiba e não terão espaço no PMDB já que foram foram excluídos do novo diretório do partido em Curitiba, liderado pelo senador Roberto Requião.

O convite, segundo Moisés Pessuti, está sendo analisado pelo grupo político liderado por seu pai.

Pessuti também pode deixar o PMDB.

A adesão do PMDB a Richa, segundo Zé Dirceu

O ex-ministro José Dirceu abordou, em seu blog, a adesão da bancada do PMDB na Assembléia Legislativa ao governo Beto Richa.

Ao invés de criticar o PMDB, atacou o PSDB, a mídia, e fez criticas ao sistema eleitoral brasileiro.

É, segundo ele, mais um “exemplo prático da hipocrisia do discurso tucano contra o sistema de governo de coalizão e alianças, a formação das chamadas bases do governo adotada no Brasil, em Brasília, nos Estados e nos municípios”.

Segundo o ex-ministro, “essa montagem de bases de governos é uma consequência do sistema eleitoral que adotamos, de voto uninominal com financiamento privado de campanhas eleitorais”.

-- Ele leva à dispersão, ao enfraquecimento dos partidos, a uma influência cada vez maior do poder econômico nas eleições, ao caixa dois e a todas as suas conseqüências, disse

Para José Dirceu, coalizões funcionam assim em todo Brasil, e em qualquer parte do mundo onde haja governos e coligações partidárias.

-- Mas, aqui, parte da mídia e especialmente seus articulistas, há meses vem fazendo uma campanha contra o governo Dilma e o PT, atacando as alianças e o governo de coalizão federal, taxando-os de fisiológicos e fontes da corrupção.

Em defesa do PT

O ex-ministro criticou a mídia ao dizer que “querem imputar fisiologismo e corrupção ao governo federal, à presidenta da República e ao PT e que isto seria decorrência das alianças e da coalizão”.

-- As acusações de troca de cargos e de compra de apoio são generalizadas contra o governo federal. Os arautos da mídia, no entanto, não fazem o mesmo em relação a São Paulo, Minas Gerais e, agora, Paraná, que repetem o mesmo modelo e todos de oposição, criticou.

Apesar dos protestos do senador Roberto Requião – “que junto com o PT continua na oposição” - o governador Beto Richa acaba de conseguir o apoio do PMDB, seu arqui-inimigo nos últimos 12 anos, destacou.

-- Nossa mídia não só não o criticou como ainda apresenta o fato como uma derrota do PT que agora, segundo ela, ficará isolado. Isolado, mas coerente e fiel ao seu programa, sem que isso signifique não dialogar ou não apoiar iniciativas legítimas e de direito do governo Richa na sua relação com a administração Dilma Rousseff, concluiu o ex-ministro.

Reforma política só em novembro

A Câmara Federal só deve votar as propostas de reforma política, em plenário, no mês de novembro, o que significa que qualquer mudança não prevalecerá para as eleições municipais do ano que vem.

Segundo a Agência Câmara, pelo menos foi essa a proposta do presidente da Casa, Marco Maia, aos líderes partidários.

O relator da Comissão Especial da Reforma Política, deputado Henrique Fontana, do PT do Rio Grande do Sul, anunciou que a votação do relatório final se dará no dia 28 de setembro.

Depois disso, segundo Marco Maia, os líderes terão 45 dias para negociar a proposta e viabilizar a votação no plenário.

MPE é contra criação de dois partidos políticos

O Ministério Público Eleitoral opinou pelo indeferimento dos registros do Partido dos Servidores Públicos e dos Trabalhadores da Iniciativa Privada (PSPB) e do Partido Democrático Vida Social (PDVS). Para o MPE, as legendas em formação não cumpriram os requisitos legais para obtenção do registro no Tribunal Superior Eleitoral.

Na avaliação da vice-procuradora-geral eleitoral, Sandra Cureau, os dois pedidos de registro não contemplaram os requisitos da Lei dos Partidos Políticos.


Blog: terça-feira, 13 de setembro de 2011

13:53:49

Requião prevê "desastre eleitoral" para deputados que se aliaram a Richa

O senador Roberto Requião voltou à tona nesta terça-feira para criticar a adesão dos deputados do PMDB ao governo Beto Richa.

Mais do que criticar, o senador previu um “desastre eleitoral”.

Segundo ele, com a adesão, os deputados perdem a identidade e a credibilidade e, “da perda da identidade e da credibilidade a um desastre eleitoral é apenas um passo”.

Se hoje o PMDB é a maior bancada na Assembléia Legislativa, com 13 deputados, em 2.014 corre o risco de ver sua representação drasticamente reduzida.

Não reelege dois, teme.

Em áudio disponível em seu twitter, Requião afirma que com “raríssima exceção” o governador Beto Richa vai privilegiar os deputados do PMDB nas próximas eleições (a exceção ficaria com Luiz Cláudio Romanelli, que é secretário do Trabalho e pode ampliar sua base eleitoral).

-- Nas próximas eleições o governador vai privilegiar seus amigos do DEM e do PSDB, diminuindo os espaços dos candidatos peemedebistas, disse Requião, que pergunta o que o PMDB vai dizer aos eleitores, depois de faltar com os compromissos assumidos nas eleições de 2010?

Pura ilusão

Na avaliação de Requião os deputados estaduais se “iludem” com os índices de aprovação do governador, que, segundo ele, são favorecidos por uma conjuntura em que a população está satisfeita com as suas condições de vida, além da falta de oposição e de críticas.

Mas a verdade – disse – “é que o governador do Paraná não está fazendo absolutamente nada”.

-- Diante da ausência de críticas, vemos o prestigio do governo crescer ou se manter alto, embora ninguém saiba por quê. O governo não faz absolutamente nada. O que faz é trocar de nomes de alguns programas do nosso governo, disse, reclamando que o governo retirou as placas das Clinicas da Mulher e da Criança feitas em seu governo com o apoio da médica Zilda Arns.

Requião alertou que se o PMDB não assumir a posição de oposição, de defensor das políticas públicas, caminha para um desastre eleitoral.

Adesão do PMDB a Richa ganha a mídia nacional

O apoio da bancada do PMDB na Assembléia Legislativa ao governo Beto Richa ultrapassa as divisas do Estado e ganha a mídia nacional. A “Folha de S. Paulo” publica matéria abordando o assunto.

Na análise da “Folha”, além de contar com ampla maioria na Assembléia, “Richa agora isola o PT nas eleições de 2014, enfraquecendo sua principal rival: a ministra da Casa Civil, Gleisi Hoffmann Gleisi, que se elegeu senadora pelo Estado no ano passado, é a candidata preferencial do PT ao governo. Sem o PMDB, de quem os petistas eram tradicionais aliados no Estado, Gleisi terá menos tempo de TV e menor apoio no interior”.

A “Folha” relata que a decisão da bancada peemedebista também despertou a ira do senador Roberto Requião, que chamou a decisão de "fisiológica" e ameaçou até pedir intervenção da Executiva Nacional do partido.

A bancada peemedebista diz que "não cobra cargos nem benefícios fisiológicos", mas que defende "o interesse do Paraná" e que, se Richa fizer um bom governo, será melhor para todos, reporta a “Folha”.

O governador tem apoio de 41 dos 54 deputados.

Só um peemedebista, Antonio Anibelli Neto, preferiu adotar posição de independência, conclui o jornal.


Blog: segunda-feira, 12 de setembro de 2011

13:11:24

Paranaense aprova governo Dilma e Richa, mas não sabe por quê

Os paranaenses aprovam as administrações da presidente Dilma Roussef, do PT, e do governador Beto Richa, do PSDB, mas nem por isso sabem dizer o que os leva a fazer esta avaliação.

É o que mostra uma pesquisa realizada pela Paraná Pesquisas para o jornal “Gazeta do Povo”.

Pela pesquisa, Richa tem 72,4% de aprovação, contra desaprovação de 20,6%. A administração do tucano até agora é considerada ótima ou boa por 56,1% dos paranaenses; regular por 27,1%; e ruim ou péssima por 11,7%.

Dilma é aprovada por 62% dos paranaenses, contra 33% que a desaprovam. Quanto à avaliação do governo da petista até aqui, 44,7% consideraram a gestão ótima ou boa; 33,6%, regular; e 19,1%, ruim ou péssima.

De acordo com os números da Paraná Pesquisas, apesar dos bons índices, mais de 70% dos entrevistados não souberam dizer ou não citaram nenhuma realização dos governos Dilma e Richa.

Dr. Rosinha faz nova denúncia contra Derosso

No dia em que será instalada a Comissão Parlamentar de Inquérito, o deputado federal Dr. Rosinha, do PT, apresenta uma nova denúncia contra o presidente da Câmara Municipal de Curitiba, vereador João Cláudio Derosso, do PSDB.

Desta vez que ele assinou dois contratos com uma empresa de terceirização de mão-de-obra ligada à sua própria família.

Trata-se, segundo o deputado, da empresa Parceria Serviços Patrimoniais Ltda, única concorrente em duas licitações da Câmara de Curitiba que “disputou" e venceu, ambas realizadas em 2004, na modalidade carta-convite.

Com base em documentos obtidos pelo deputado junto a Junta Comercial e o Portal do Controle Social, mantido pelo Tribunal de Contas do Paraná, entre os anos de 2004 e 2009, a Parceria Serviços Patrimoniais recebeu R$ 1,2 milhão dos cofres do Legislativo municipal.

O parente em questão é o sobrinho do vereador tucano João Henrique Desorro Chu, e segundo Rosinha, ele ingressou formalmente como sócio da Parceria em dezembro de 2004, meses após a assinatura dos dois contratos.

Filho de Fátima Aparecida Derosso Chu, procuradora jurídica da Câmara de Curitiba, o então estudante João Henrique desembolsou apenas dois mil reais para ter direito a 50% das quotas da empresa, atesta o deputado.

Testas-de-ferro (I)

O deputado Dr. Rosinha revela que começou a investigar essa empresa a partir de uma informação que ela supostamente pertenceria a laranjas ou a testas-de-ferro da família Derosso.

-- Os documentos que obtivemos na Junta Comercial do Paraná comprovam que de fato há relações muito estreitas entre a família do presidente da Câmara de Curitiba e a empresa Parceria. Isso precisa ser investigado, afirma.

Segundo o deputado do PT, o primeiro contrato entre a Câmara de Curitiba e a Parceria Serviços Patrimoniais, assinado em fevereiro de 2004, tinha como objeto a prestação de serviços de oito recepcionistas, que atuariam nas duas portarias do Legislativo. O valor inicial da licitação era de R$ 99,9 mil e o prazo, de um ano.

Após oito aditivos, os pagamentos desse contrato à empresa Parceria chegaram a R$ 578,7 mil, e os serviços foram prorrogados até agosto de 2008.

O segundo contrato previa a disponibilização de cinco copeiras, quatro garagistas e um garçom. Assinado em abril de 2004, também tinha duração de doze meses. Após sete aditivos, o valor original, que era de R$ 114,8 mil, passou para R$ 599,4 mil pagos à Parceria. Os serviços foram prorrogados até abril de 2009.

Testas-de-ferro (II)

Rosinha revelou que João Henrique Derosso Chu permaneceu na sociedade até março de 2005, quando transferiu suas quotas para a empresária Regina Daros, “que também é ligada à família Derosso”.

Ela é sócia de outra irmã do vereador tucano, a bibliotecária Maria Helena Derosso, servidora da Câmara de Curitiba.

Regina Emília Daros e Maria Helena Derosso são, segundo o deputado, proprietárias de uma pousada em Barra do Turvo, em São Paulo. Regina deixou a sociedade da Parceria em setembro de 2005.

De olho em 2.012, PMDB reúne prefeitos em Brasília

Prefeitos do PMDB de todo o País estarão em Brasília na quarta-feira para participar o Fórum Nacional “O PMDB e os Municípios – Cidadão, Cidade e Cidadania – Uma Vivência Democrática”.

O evento será no Centro de Convenções Ulysses Guimarães e terá os olhos voltados para as eleições municipais do ano que vem.

Entre os paranaenses que estarão presentes ao evento, o ex-governador Orlando Pessuti, que aproveitará a oportunidade para apelar à cúpula nacional do PMDB para que se posicione sobre a adesão da bancada na Assembléia Legislativa ao governo Beto Richa.

Mesmo em minoria, oposição quer presidir CPI do Derosso

Mesmo tendo apenas dois representantes (contra sete), a oposição na Câmara Municipal de Curitiba quer presidir a CPI que vai investigar as denúncias de irregularidades na contratação de serviços de publicidade pelo presidente da Casa,vereador João Cláudio Derosso, do PSDB.

A CPI, que também vai investigar o favorecimento a empresas ligadas à família do presidente da Câmara, será instalada logo mais às 13h30.

Segundo o vereador Pedro Paulo, do PT, é tradição nos parlamentos que fique à frente da apuração quem propôs sua instalação da CPI.

Pedro Paulo é o nome da oposição caso caiba a presidência da CPI. Se ficar com a relatoria, o indicado é o vereador Paulo Salamuni, do PV.


Blog: sexta-feira, 9 de setembro de 2011

15:59:53

Filhos de Pessuti podem sair do PMDB

Os dois filhos do ex-governador Orlando Pessuti – Bruno e Moisés – podem seguir os passos do pai e deixar o PMDB.

Segundo o ex-governador, um dos dois será candidato a vereador em Curitiba nas eleições do ano que vem, mas como foram excluídos do novo diretório do PMDB, que tem à frente o senador Roberto Requião, correm o risco de não ter legenda para concorrer.

Na verdade, disse Pessuti, todo seu grupo político foi excluído do novo diretório de Curitiba e não eram apenas seus filhos que estavam de olho nas eleições do ano que vem. Em entrevista ao blog, o ex-governador disse que, assim como ele, seus dois “meninos” têm convites oficiais de seis partidos -- PSC, PDT, PT do B, PHS, PC do B e PV.

Um desses partidos, inclusive, convidou Moisés para ser candidato a prefeito de Curitiba.

Qual, Pessuti não quis revelar.

Contagem regressiva

O alerta está no site do TSE: termina em 28 dias o prazo para aqueles que pretendem se candidatar a cargo eletivo nas eleições 2012 se filiarem a partido político.

A data limite é o dia 7 de outubro.

A determinação está prevista na Lei das Eleições (Lei nº 9.504/1997 – artigo 9º) e também no calendário eleitoral já aprovado pelo Tribunal Superior Eleitoral .

De acordo com dados da Justiça Eleitoral, atualmente existem 13.880.058 eleitores filiados em todo o Brasil e, portanto, aptos a se candidatar.

27 opções

Para quem pretende concorrer ao cargo de prefeito, vice-prefeito e vereador existem 27 partidos políticos devidamente registrados na Justiça Eleitoral e que podem receber a filiação do candidato.

Além disso, outros quatro partidos já entraram com pedido de registro no TSE e aguardam o julgamento.

São eles: Partido Social Democrático (PSD); Partido Democrático Vida Social (PDVS); Partido Pátria Livre (PPL); e Partido dos Servidores Públicos e dos Trabalhadores da Iniciativa Privada do Brasil (PSPB).

Reforma Eleitoral

O dia 7 de outubro deste ano também é o prazo final para que o Congresso Nacional aprove qualquer alteração no processo eleitoral.

A condição está prevista no artigo 16 da Constituição Federal, segundo o qual, “a lei que alterar o processo eleitoral entrará em vigor na data de sua publicação, não se aplicando à eleição que ocorra até um ano da data de sua vigência”.

Por causa desta norma constitucional, o Supremo Tribunal Federal decidiu que a Lei da Ficha Limpa (Lei Complementar nº 135/2010) não se aplicaria às Eleições 2010, pois foi aprovada quatro meses antes do pleito.

Eleições 2012

Nas eleições de 2012 serão escolhidos novos prefeitos, vice-prefeitos e vereadores nos 5.569 municípios brasileiros.

O primeiro turno está marcado para o dia 7 de outubro de 2012 e o segundo turno, caso haja necessidade, no dia 28 de outubro.


Blog: quinta-feira, 8 de setembro de 2011

17:51:02

Marcha contra a corrupção

Para Alvaro, protesto lembrou movimento pelo impeachment de Collor

senador Alvaro Dias, do PSDB, que participou, quarta-feira, da Marcha contra a Corrupção, em Brasília, comparou o protesto ao movimento pelo impeachment do ex-presidente Fernando Collor de Mello.

Em discurso na tribuna do Senado, nesta quinta-feira, o senador paranaense disse que, desde 1992 “o Brasil não tinha visto uma manifestação igual, reunindo um público heterogêneo de trabalhadores, classe média, estudantes, mulheres, jovens e crianças”.

- Não foi uma manifestação da direita, da esquerda, do centro. Foi uma manifestação ampla de todos aqueles que resistem à banalização da corrupção e preservam a capacidade de indignação, afirmou.

Alvaro saudou o público que participou da Marcha Contra a Corrupção e disse que não importa o número exato das pessoas que participaram da marcha. O importante, segundo ele, é que a manifestação reuniu uma multidão com energia, consciência política, responsabilidade pública convocando as autoridades a agirem.

Quando um não quer, dois não brigam

O deputado federal Zeca Dirceu, do PT, está rebatendo as acusações contra ele feitas pelo deputado Osmar Serraglio, do PMDB, reproduzidas neste blog, na semana passada. Serraglio acusou o petista de agir “com falta de escrúpulo e de forma antiética”, ao tentar se apropriar de emendas que beneficiam municípios paranaenses apresentadas por outros parlamentares.

Em seu blog, Zeca Dirceu dá sua versão dos fatos, apresenta documentos e assegura que as declarações de Serraglio não têm “relação alguma com a verdade”.

Lançando mão de um ditado popular , o que diz que “quando um não quer, dois não brigam”, Zeca Dirceu afirmou que não irá “revidar” os ataques de Serraglio. As explicações de Zeca Dirceu estão no site WWW.zecadirceu.com.br.

Ibope aponta que brasileiros usam internet para se informar sobre política

Pesquisa Ibope divulgada nesta quinta-feira mostra que a internet se transforma, rapidamente, no maior veículo de comunicação do país, depois da TV, na área política.

Segundo matéria do portal “Correio do Brasil”, em 2000 eram 4,9 milhões os internautas no Brasil. Em 2010 foram 34,8 milhões. Em 2000, em média, os internautas acessavam sete horas por mês. Em 2010, em média, foram 32 horas por mês. Em 2010, 31% dos domicílios que tinham acesso à internet: 36% no Sudeste e 11% no Nordeste, sendo 90% na classe A, 24% na C e 3% na D/E.

Nas eleições de 2010, a TV foi a principal fonte de informação para 72% dos eleitores. Internet vem em segundo com 12% (sendo 33% entre quem tem nível superior, 29% com renda acima de 5 salários mínimos, e 21% entre 16 e 24 anos). Depois vem o rádio com 4%, jornais 3%, conversas com amigos 2%. São 28% (em 2009 eram 24%), os que acessam a internet diariamente, sendo 32% entre 16 e 24 anos, 47% os de nível superior e 66% em cidades com mais de 100 mil habitantes.

Cidades com 100 mil eleitores poderão ter propaganda eleitoral gratuita na TV

Tramita na Câmara Federal proposta do deputado Carlos Bezerra, do PMDB do Mato Grosso que prevê a veiculação de propaganda eleitoral gratuita em rádio e TV nas eleições para prefeito e vereador dos municípios com mais de 100 mil eleitores.

A proposta altera a Lei das Eleições (9.504/97), que hoje só autoriza a veiculação de propaganda eleitoral nas cidades sem emissoras que possuam mais de 200 mil eleitores.

A proposta, a Justiça Eleitoral garantirá a veiculação da propaganda nos municípios onde não haja emissora de rádio e televisão, desde que haja condições operacionais viáveis para a retransmissão.

Segundo a Agência Câmara, o autor do projeto pondera que cidades com mais de 100 mil eleitores já são de porte médio e exigem uma aproximação maior dos candidatos com a população.

Essa aproximação, segundo ele, só pode ser feita com a ajuda da propaganda eletrônica.

PSB em ritmo de eleições

O PSB apresenta logo mais, à noite, seu programa eleitoral em cadeia nacional de rádio e televisão, já voltado às eleições municipais do ano que vem.

O presidente nacional do partido, o governador de Pernambuco, Eduardo Campos, vai lançar a bandeira da reforma urbana e propõe corte de impostos para baixar o preço das tarifas de transporte público.

Curitiba será, mais uma vez, mostrada como modelo na área.

O programa do PSB apresenta também os prefeitos de Curitiba, Luciano Ducci, e de Belo Horizonte, Márcio Lacerda, como "os dois mais bem avaliados do país", de acordo com pesquisas de opinião pública.

-- Se fomos capazes de transformar o Brasil, por que não nossas cidades?, é o slogan adotado pelo PSB.

Rosinha acredita no consenso no PT de Curitiba

O deputado federal Dr. Rosinha acredita que é possível chegar a um consenso para definir o candidato do PT à prefeitura de Curitiba sem a necessidade da realização de eleições prévias.

Além dele, disputam a indicação o deputado federal Angelo Vanhoni e o deputado estadual Tadeu Veneri. Segundo Rosinha, em eleições passadas o PT já chegou ao consenso pode fazê-lo agora.

“Fruet vai nos apoiar”

Na entrevista à CBN, Rosinha preferiu não polemizar com outros petistas que defendem uma aliança em torno do ex-deputado Gustavo Fruet.

Insistiu na candidatura própria do PT, que, acredita, pode ir ao segundo turno ainda mais que pode contar com conta com “eleitores” do nível do ex-presidente Lula, da presidente Dilma Roussef e da ministra Gleisi Hoffmann.

-- O PT tem como fazer o enfrentamento com os demais candidatos e vamos fazer a diferença. Ele (Fruet) é quem vai nos apoiar no segundo turno, disse.

André Vargas defende aliança das oposições

O deputado federal André Vargas, do PT, voltou a defender uma aliança dos partidos de oposição às eleições municipais do ano que vem no Paraná. Pelo twitter, Vargas disse que as oposições podem vencer “se soubermos articular alianças nos maiores centros em especial Curitiba, Londrina, Maringá e Foz do Iguaçu”.

Rosinha é contra

Em entrevista à rádio CBN, nesta quinta-feira, o deputado federal Dr. Rosinha, um dos pré-candiatos do PT à prefeitura de Curitiba, se posicionou contra alianças nos municípios onde a eleição é em dois turnos.

-- Onde tem segundo turno o PT tem que ter candidato, disse.

Dr. Rosinha ponderando que esta é uma oportunidade de promover um debate político sobre a cidade. Com isso – disse – o PT vai conquistar votos.

-- Se for competente e se tiver uma proposta abrangente e conquistar eleitores, o PT vai para o segundo turno, afirmou.


Blog: quarta-feira, 7 de setembro de 2011

16:54:03

Gustavo nega que já tenha se definido pelo PDT

O ex-deputado Gustavo Fruet se surpreendeu com a entrevista do vereador Tito Zeglin a emissoras de rádio anunciando sua filiação ao PDT para a próxima segunda-feira.

-- Não sei de onde tirou isso, disse Fruet ao blog.

O ex-deputado disse que fica “feliz com a expectativa” dos pedetistas, mas não tem nada definido ainda.

Fruet, inclusive, deve ir a Brasília na semana que vem. Para tratar de questões pessoais e, também, fazer alguns contatos.

Na segunda-feira terá certeza da agenda que prevê encontros com o presidente do PDT paranaense, Osmar Dias, com o presidente nacional do PV, José Penna, e com o senador Alvaro Dias. Dependendo da agenda dos dois ministros, Fruet pode se encontrar também com o pedetista Carlos Lupi e com o petista Paulo Bernardo.

Requião quer presidir representação brasileira no Parlasul

O senador paranaense Roberto Requião, do PMDB, disputa na próxima terça-feira a presidência da representação brasileira no Parlamento do Mercosul (Parlasul).

Disputam também o cargo, que terá a missão de liderar a bancada nacional em Montevidéu, sede do Parlasul, a senadora Ana Amélia, do PP do Rio Grande do Sul, e Inácio Arruda, do PCdoB do Ceará.

A representação brasileira é composta por 10 senadores e 27 deputados.

Atualmente a delegação brasileira tem à frente o deputado paranaense Dr. Rosinha, do PT.

Pessuti vai à direção nacional contra adesão da bancada do PMDB a Richa

O ex-governador Orlando Pessuti vai a Brasília na próxima semana para conversar com o vice-presidente Michel temer e com o presidente nacional do PMDB, senador Valdir Raupp, sobre a adesão da bancada estadual ao governo Beto Richa.

Em entrevista ao blog, Pessuti avaliou que até pela posição do partido a nível nacional, que integra a base de apoio do governo Dilma Roussef, a cúpula nacional deve tomar uma posição.

-- Nem eu nem o Requião não podemos fazer nada para desmanchar este acordo. Brasília terá que dar uma luz, espera Pessuti.

O ex-governador afirmou que não tem vontade de deixar o PMDB, mas se a situação permanecer como está não terá outra saída.

-- Não posso ficar num partido que apoia um governo que tira quadros do PMDB, disse.

Pessuti cita três exemplos.

O PSDB de Beto Richa “roubou” do PMDB a ex-deputada Beti Pavin, de Colombo; o reitor da Universidade Estadual de Ponta Grossa, João Carlos Gomes; e Jorge Derbli, de Irati, que seriam candidatos a prefeito pelo partido nas eleições do ano que vem.

Nenhum vínculo com a Assembleia

Pessuti foi nesta terça-feira à Assembleia Legislativa para, numa conversa com seu presidente, deputado Valdir Rossoni, esclarecer que desde dezembro do ano passado não tem mais vínculo funcional com a Casa.

Recentemente Pessuti foi surpreendido com um edital do Departamento de Pessoal, convocando-o a regularizar sua situação.

-- Definitivamente ficou regularizada a situação funcional. Está confirmado que desde o dia 16 de dezembro de 2.010 não tenho nenhum vínculo com a Assembleia, disse.

Ducci será destaque no programa do PSB

O prefeito de Curitiba, Luciano Ducci, será destaque no programa nacional do PSB que será veiculado nesta quinta-feira, às 20h30.

O tema do programa de 10 minutos será cidades e Ducci falará da experiência e projetos inovadores de Curitiba.

Os prefeitos Marcio Lacerda (Belo Horizonte) e Edvaldo Nogueira (Aracaju) também participam do programa.


Blog: terça-feira, 6 de setembro de 2011

16:06:56

Derosso homologa CPI que irá investigá-lo

O presidente da Câmara Municipal de Curitiba, João Cláudio Derosso, homologou nesta terça-feira a Comissão Parlamentar de Inquérito que vai investigar as denúncias que pesam sobre ele.

A oposição chegou a protocolar um requerimento pedindo que o vice-presidente da Câmara, Sabino Picolo, do DEM, homologasse a CPI sob a alegação que Derosso estaria impedido por ser alvo das investigações.

A primeira reunião da CPI será na próxima segunda-feira.

Ratinho garante que PSC não será sublegenda

Ao participar, no final de semana,de encontros regionais realizados em Laranjeiras do Sul, Cascavel e Foz do Iguaçu, o deputado federal Ratinho Júnior garantiu que o PSC não será uma “sublegenda” de nenhum outro partido nas eleições do ano que vem.

Ratinho, que pretende disputar a sucessão do prefeito Luciano Ducci, comemorou o número de pré-candidatos às eleições do ano que vem, que já chega a 200 em todo Estado.

-- Um grande feito para um partido que, até há pouco tempo, era considerado nanico, disse o deputado.

Fiep convida Dilma para posse da nova diretoria

A Federação das Indústrias do Estado do Paraná convidou a presidente Dilma Roussef para a posse de sua nova diretoria, no dia 30 de setembro.

Eleito no inicio de agosto, o empresário Edson Campagnolo substituirá Rodrigo Rocha Loures e ficará à frente da Fiep até 2.015.

Ninguém vai bisbilhotar a mídia, diz Paulo Bernardo

O jornalista Josias de Souza reproduz em seu blog trecho da entrevista que o ministro das Comunicações, Paulo Bernardo, concedeu a jornalista Vera Rosa, da “Folha”, assegurando que o fato de o PT ter aprovado moção sobre a regulamentação da mídia, em seu congresso nacional, não significa que (a mídia) será “bisbilhotada”.

Para o ministro não há “nada de extraordinário na moção”. Que está dentro dos “marcos democráticos”.

-- Ninguém vai bisbilhotar a mídia. Assim como a mídia pode criticar o PT, o PT pode criticar a mídia, afirmou.

Paulo Bernardo ponderou que “é importante separar a posição do partido da posição do governo”.

-- O PT tem posições e o governo tem um programa (…) a presidenta Dilma declarou com veemência em seu primeiro discurso, logo que foi eleita, que era defensora da liberdade de expressão (…) aliás, a Constituição veda qualquer tipo de censura e controle do conteúdo jornalístico”, lembrou.


Blog: segunda-feira, 5 de setembro de 2011

14:28:14

Seis partidos “namoram” Pessuti

O ex-governador Orlando Pessuti confirmou em entrevista a emissoras de rádio o que o blog noticiou, com exclusividade, na sexta-feira: que pode deixar o PMDB.

Segundo ele, já recebeu convites de seis partidos. Além do PSC, do PDT, PT do B, PHS, PC do B e PV.

O ex-governador disse que entre os motivos para a mudança de partido, estão o difícil relacionamento dentro do PMDB e a discordância da posição tomada pela bancada na Assembléia Legislativa em apoiar o governo de Beto Richa do PSDB sem uma discussão com lideranças do partido.

Pessuti lamentou o fato e se posicionou contrário ao apoio.

-- Na melhor das hipóteses poderíamos ficar numa posição de independência, afinal o povo nos colocou na oposição ao governo do PSDB. A decisão dos parlamentares de apoiar o PSDB do Paraná foi tomada sem qualquer consulta ao partido, ao diretório nacional, aos deputados federais, aos senadores e aos ex-governadores, lamentou.

Pessuti, que está no PMDB a mais de 40 anos, disse que deixar o partido não é do seu desejo e nem de grande parte dos filiados.

-- Prefeitos, vereadores, ex-prefeitos, ex-vereadores, presidentes de partido, delegados do PMDB, querem que eu fique no partido e lidere uma frente de reorganização do PMDB no Paraná, afirmou.

Conselho de Ética aprova suspensão de Derosso

Por três votos contra dois, o Conselho de Ética aprovou na manhã desta segunda-feira a suspensão, por 90 dias, do presidente da Câmara Municipal de Curitiba, vereador João Cláudio Derosso, do PSDB.

O relatório aprovado será, agora, submetido ao plenário.

Segundo o relator do Conselho de Ética, Jorge Yamawaki, Derosso teve “conduta contrária à ética ao omitir intencionalmente informação relevante”. Ou seja, seu relacionamento com a jornalista Cláudia Queiroz, dona da Oficina de Noticias, que abocanhava contratos de publicidade da Câmara.

TRE faz plantão no feriado

Os eleitores de Curitiba poderão aproveitar o feriado da Semana da Pátria para fazer seu recadastramento biométrico.

A Central de Atendimento ao Eleitor de Curitiba, localizada na Rua João Parolin, nº 55, no Prado Velho, funcionará na quarta e quinta-feira das 8h30 às 18h30.

O eleitor pode agendar o atendimento através do site www.tre-pr.jus.br. Uma boa notícia é que o TRE disponibiliza estacionamento gratuito para os eleitores.

Demissões no Dnit do Paraná

A informação é do portal da Agência Brasil e dá conta que a edição desta segunda-feira do Diário Oficial da União publicou a demissão de seis servidores do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit), no Paraná, denunciados por irregularidades em contratos de obras no Estado.

São eles: Ronaldo de Almeida Jares, Marcelo José Leal Gasino, David José de Castro Gouvêa, Omir Mello Ferreira, Emerson Cooper Coelho e José Roberto Bilobran.

Segundo a Agência Brasil, eles não poderão mais retornar ao serviço público. De acordo com a portaria publicada, a demissão foi motivada pela prática das infrações descritas nos Artigos 117 e no 132 da Lei 8.112/90, que implicam “valer-se do cargo para lograr proveito pessoal ou de outrem, em detrimento da dignidade da função pública”; “proceder de forma desidiosa”, que significa desleixo, indolência, preguiça, negligência, além de provocarem “lesão aos cofres públicos e dilapidação do patrimônio nacional.

Fruet no PMDB?

Os petistas que foram a Brasília participar do 4º Congresso Nacional do partido ficaram desconfiados com a notícia que estaria em curso uma negociação para levar o ex-deputado Gustavo Fruet para o PMDB.

Desconfiaram porque o que se comentava nos bastidores do congresso partidário era que à frente desta tarefa estariam o ministro das Comunicações, Paulo Bernardo, e o senador Roberto Requião. Ninguém desconhece que os dois políticos estão há muito tempo em rota de colisão.

PT proíbe alianças com PSDB, DEM e PPS

O PT está proibido de fazer alianças às eleições municipais do ano que vem com o PSDB, DEM e PPS. Esta foi mais uma das decisões do 4º Congresso Nacional do partido que terminou domingo, em Brasília As alianças permitidas são com os partidos da base aliada do governo Dilma Roussef, em especial o PMDB.

O PSD não integra a lista de partidos proibidos porque, segundo o presidente nacional do PT, Rui Falcão, ainda não existe, já que depende da aprovação do tribunal Superior Eleitoral.


Blog: domingo, 4 de setembro de 2011

16:16:28

PT limita número de mandatos de parlamentares

O PT decidiu limitar o número de mandatos de seus parlamentares. Vereadores, deputados estaduais e federais terão direito a três mandatos e senadores a apenas dois.

Esta foi uma das mudanças no estatuto do partido aprovado durante o 4º Congresso Nacional, realizado em Brasília.

No entanto, esta regra passa a valer de 2.014, sem prejuízo para quem hoje exerce mandato.

Somente em 2026 os deputados que tiverem exercido três mandatos serão impedidos de buscar uma nova reeleição, enquanto para os senadores a limitação começa em 2030.

Segundo matéria da Agência Estado, a proposta enfrentou resistência da cúpula do partido e só foi dada como aprovada após três votações.

E dificulta a realização de prévias

Outra mudança no estatuto do PT dificulta a realização de prévias para a escolha de candidatos a cargos majoritários.

De acordo com a mudança aprovada, os diretórios nacional, estaduais e municipais passam a ter poder para impedir sua realização.

Pelo texto aprovado, se dois terços do diretório decidirem pela não realização de prévias, a definição do candidato ao cargo majoritário será feita por encontro de delegados. Essa nova regra vale para os cargos de presidente, governador, senador e prefeito.

Atualmente, sempre que há dois candidatos, o PT era obrigado a realizar a consulta aos filiados.

Para o deputado paranaense André Vargas, secretário de comunicação do PT, a intenção é evitar que o desejo pessoal de um filiado atrapalhe o projeto do partido.

-- O objetivo nosso é impedir que um filiado possa parar o partido. A prévia passa a ser direito da instância partidária e não mais do filiado, reporta a Agência Estado.


Blog: sexta-feira, 2 de setembro de 2011

17:40:31

Sem espaço, Pessuti pode deixar o PMDB

O ex-governador Orlando Pessuti vem sendo pressionado por seu grupo político a deixar o PMDB. O argumento, segundo fontes próximas ao ex-governador, é que não tem nem terá espaço para viabilizar sua candidatura ao governo do Estado nas eleições de 2.014.

O PMDB estadual está nas mãos dos deputados que recentemente aderiram ao governo Beto Richa, acenando, inclusive, com apoio à sua candidatura de reeleição.

Na avaliação dos pessutistas, mesmo que os parlamentares não tivessem aderido a Richa ele não teria espaço.

Porque seria “barrado” pelo senador Roberto Requião, de quem virou adversário político.

Caminho pode ser o PSC

Pessuti já foi convidado pelo deputado federal Ratinho Júnior, e pelo seu pai, Carlos “Ratinho” Massa, a ingressar no PSC.

Fontes ligadas ao ex-governador afirmam que já houve várias conversas.

A mais recente aconteceu na última quinta-feira.

Se quiser deixar o PMDB, Pessuti está numa situação confortável.

Sem mandato, não pode ser enquadrado na lei de fidelidade partidária.

Agora só falta a aprovação do TSE

O PSD do prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab, conseguiu o registro em dez Estados brasileiros (o número exigido por lei é nove Estados), cumprindo, assim, os requisitos para buscar o registro definitivo junto ao Tribunal Superior Eleitoral.

O PSD foi aprovado pelos TREs do Paraná, Acre, Mato Grosso, Rio de Janeiro, Santa Catarina, Goiás, Piauí, Rio Grande do Norte, Tocantins e Rondônia.

No TSE, no entanto, a relatora do pedido de registro, a ministra Nancy Andrighi, encaminhou os autos do processo ao Ministério Público Eleitoral que irá emitir parecer sobre a solicitação do partido em formação. Segundo o site do TSE, de acordo com a Resolução 23.282/2010, MPE tem até o dia 12 de setembro para emitir o parecer e, se for o caso, apontar as falhas a serem corrigidas pelo pretenso novo partido.

Na hipótese de haver falhas no pedido de registro, o PSD terá outros 10 dias para corrigi-las.

Depois de atendidas as diligências ou caso não haja diligências a serem feitas, a relatora deverá levar o pedido para ser julgado pelo Plenário dentro de 30 dias, independente da publicação em pauta.

Serraglio e Zeca Dirceu em rota de colisão

O deputado Osmar Serraglio, do PMDB, pretende denunciar o petista Zeca Dirceu na próxima reunião da bancada federal paranaense, em Brasília.

O peemedebista já encaminhou correspondência a todos os parlamentares acusando o filho do ex-ministro José Dirceu de agir “com falta de escrúpulos e de forma antiética”.

-- Há evidente falta de decoro, digna de exame pelo Conselho de Ética, disse Serraglio, que acusou o petista de querer ser o “pai da criança” de obras e recursos conquistados por outros deputados.

Na correspondência encaminhada a seus colegas de bancada, Serraglio relata vários episódios onde há interferência de Zeca Dirceu, como por exemplo, “abocanhar” a emenda ao orçamento da União destinando cinco milhões de reais para o Hospital do Câncer de Umuarama.

-- Ele chamou para Brasília o responsável pelo Hospital e gravou mensagem (pode ser ouvida em seu site) afirmando que só com sua intervenção os recursos serão liberados, denunciou.

Eleição plebiscitária não interessa à oposição, diz Veneri

O deputado Tadeu Veneri defende que todos os partidos que têm candidatos com viabilidade eleitoral participem das eleições à prefeitura de Curitiba, no ano que vem.

Em entrevista ao blog, disse que uma eleição plebiscitária, o que significaria a união dos partidos de oposição em torno da candidatura do ex-deputado Gustavo Fruet, só é boa para o prefeito Luciano Ducci.

É que, segundo Veneri, Ducci terá as máquinas da prefeitura e do governo do Estado, que têm mais capilaridade que a máquina federal numa eleição municipal.

-- O ideal é articular para que candidatos com viabilidade eleitoral disputem as eleições. Quanto mais, melhor e, no segundo turno, se estabelecem as alianças, defendeu.

Segundo Veneri, com um número maior de candidaturas a oposição poderá chegar a vários segmentos da sociedade.

– A eleição passa a ser racional, não emocional. Não transformaremos a eleição no ser contra ou ser a favor, como aconteceu em 2.008, disse.

Veneri discute candidatura com lideranças nacionais do PT

O deputado Tadeu Veneri aproveita sua ida a Brasília onde participa do Congresso Nacional do PT para discutir com lideranças nacionais do partido sua (pré) candidatura à prefeitura de Curitiba.

Segundo o deputado, o primeiro contato foi feito quando da visita do presidente nacional do PT, Rui Falcão, a Curitiba, que lhe assegurou que a direção nacional irá cumprir as regras definidas partido sobre as eleições de 2.012.

--O presidente do partido nos afirmou que os nomes dos petistas colocados à disposição do partido têm plenas condições e legitimidade para postular uma candidatura, reportou Veneri.

Rossoni admite que Assembleia pagou sua viagem ao exterior

De volta ao Paraná, o presidente da Assembléia Legislativa, deputado Valdir Rossoni, do PSDB, admitiu que o custo da viagem ao exterior, junto com o governador Beto Richa, foi bancado pela Casa.

Mas assegurou que os resultados que a comitiva trouxe ao Brasil foram “maiores” que suas despesas.

-- As minhas despesas são infinitamente menores do que os benefícios, disse Rossoni, que concorda que é preciso ter “o devido cuidado, afinal, é dinheiro público que nós estamos gastando”.

Rossoni, no entanto, defendeu que o chefe de um Poder “tem que ter condições de locomoção para representá-lo diante dos interesses do Estado”.

Mais um dilema na Câmara

O vereador Algaci Tulio, do PMDB, desconfia que o parecer do relator da Comissão de Ética, Jorge Yamawaki, do PSDB, que pede a suspensão de 90 dias para o presidente da Câmara Municipal de Curitiba, João Cláudio Derosso, do PSDB, vai cair.

Porque Yamawaki não é membro titular da comissão.

É suplente, o que daria margem para que se alegue falta de competência para agir.



Blog

Candidatura é irreversível

Temer quer a reeleição

Qual o poder de influência de Richa?

Escola sem partido

PSDB “renega” Temer

Quem é FHC?

Patrimônio de Lula já está com Moro

Alvaro lança (pré) candidatura

Entre aspas

Temer, o perseguido

Em pauta

Viagens para o Chile e Argentina são opções para novembro

Carlos Wizard conta, em Curitiba, os segredos que o levaram do zero ao primeiro bilhão

Flyworld Viagens participa do 45° ABAV Expo e 48° Encontro Comercial Braztoa

Aproveite o “Dia do Frevo” em Recife

Bairros de Curitiba

Músicas antigas

Novos acadêmicos

Acupuntura, mitos e verdades

É preciso manter a esperança

TCP inaugura armazém de exportação e oferece novos serviços

Acesse também

Twitter - http://twitter.com/roseli_abrao

Facebook - http://www.facebook.com/blog.roseliabrao

RSS Feeds - http://roseliabrao.com/rss/

Coluna

Rossoni derruba sessão e irrita deputados

CEI do “xerox” não pode ser uma caça às bruxas

Erro do TRE dá sobrevida a Bernardo Carli

Ghignone aposta na vitória de Ducci

Beto não assume compromisso com emendas ao orçamento

Publicidade


Publicidade

A 1ª em aluguel de Livros com entrega em domicilio e Venda de Livros Usados em Curitiba

Telefones para contato:
(41) 3367-2466 / 3367-3544


Copyright © roseliabrao.com | 2011

Blog | Coluna | Em pauta | Roseli Abrão | Equipe | Contato | Topo do site