Email: Roseli Abrão

Blog: terça-feira, 28 de novembro de 2017

11:56:41

Bombas-relógio

O ex-prefeito de Curitiba, Gustavo Fruet, analisa o novo acordo (os termos ainda são desconhecidos) sobre o transporte coletivo firmado entre o prefeito Rafael Greca e os empresários do setor e prevê que há pelo menos três “bombas relógio” prestes a explodir.

Aqui, a análise feita por Fruet em seu perfil no Facebook:

1 - Se homologado, o acordo retroage a 1º de novembro elevando a tarifa técnica a R$ 4,25. Inclui ajuste de pessoal, diesel e bens reversíveis e a decisão do TJ/PR que suspendeu decisão do TCE/PR, mas que valeu por 45 dias.

2. A segunda bomba será em fevereiro de 2018 quando, por contrato, acontece o reajuste. A tarifa técnica deve ficar entre R$ 4,70 e R$ 5,00, com a correção inflacionária dos itens que compõem a tarifa e nos salários de motoristas e cobradores. O contrato assinado na gestão Beto/Ducci estabelece que a tarifa seja corrigida anualmente, sempre em 26 de fevereiro.

3 – Como 2018 é ano eleitoral e o governador e seus parentes “próximos” serão candidatos, a tendência é que seja seguida a velha fórmula de fazer política com a tarifa.

4 – Nesta hipótese, a tendência é que a tarifa não seja reajustada ou sofra um reajuste inferior ao valor da tarifa técnica. Isso gerará novo desequilíbrio entre tarifa técnica e tarifa do usuário. Ou seja, uma nova bomba relógio será armada para o sistema.

5 – Para evitar o impacto negativo do aumento da tarifa nos projetos eleitorais, o grupo que hoje comanda Estado e Prefeitura deve recorrer ao subsídio. O mesmo que foi criado em 2012 – ano em que o governador tentava reeleger seu candidato à Prefeitura – e retirado após a vitória de um adversário político.

6 – É bem provável que, com a correção da inflação, a tarifa técnica chegue a R$ 4,75 a partir de fevereiro. Suponhamos que decidam elevar a tarifa do usuário dos atuais R$ 4,25 para R$ 4,50. Neste caso, a Prefeitura/Estado teria que bancar um subsídio de R$ 0,25 por passageiro.

7 – Isso consumiria R$ 4 milhões/mês dos cofres públicos. Valor suficiente para construir e equipar, todos os meses, uma creche para 150 ou 200 crianças.

8 – Perguntas que ficam. Será possível sustentar esse subsídio após a eleição ou no ano seguinte a tarifa do usuário terá que sofrer forte aumento para garantir o funcionamento do sistema? De onde sairia o recurso para manutenção deste subsídio? Que áreas deixariam de receber esse investimento? Registrando que neste ano de 2017 ocorreu a maior alta após o edital da gestão Beto Richa.


Blog

Em quaisquer circunstâncias

Pepe Richa desiste da candidatura

Mujica visita Lula

Mercado não quer Meirelles

Uma mulher à frente do TSE

Sperafico acumula funções

Não pode

Entre aspas

O “Oscar” da política

Reajuste sai de pauta por 5 sessões

Em pauta

TCP e Brado Logística desenvolvem ações conjuntas com foco nos clientes

Flyworld indica os destinos mais românticos para casais apaixonados

Namorados devem gastar mais com presentes, diz Datacenso

Flyworld indica destinos para lua de mel no mês das noivas

Jovens e idosos são os que mais viajam sozinhos no Brasil

Flyworld indica destinos nacionais e internacionais para a Páscoa

TCP inaugura novo serviço para a Ásia

Flyworld Viagens prevê crescimento de 40% para 2018

Sete dicas para curtir o Carnaval com os amigos ou família

Cinco dicas para organizar uma viagem com sucesso

Acesse também

Twitter - http://twitter.com/roseli_abrao

Facebook - http://www.facebook.com/blog.roseliabrao

RSS Feeds - http://roseliabrao.com/rss/

Coluna

Rossoni derruba sessão e irrita deputados

CEI do “xerox” não pode ser uma caça às bruxas

Erro do TRE dá sobrevida a Bernardo Carli

Ghignone aposta na vitória de Ducci

Beto não assume compromisso com emendas ao orçamento

Publicidade


Publicidade

A 1ª em aluguel de Livros com entrega em domicilio e Venda de Livros Usados em Curitiba

Telefones para contato:
(41) 3367-2466 / 3367-3544


Copyright © roseliabrao.com | 2011

Blog | Coluna | Em pauta | Roseli Abrão | Equipe | Contato | Topo do site