Email: Roseli Abrão

Blog: quarta-feira, 9 de maio de 2018

13:19:03

Copel-Ovepar

TJ condena réus

O Tribunal de Justiça acatou recurso do Ministério Público e condenou o ex-secretário de Estado da Fazenda na gestão 2000-2003 e ex-diretor-presidente da Companhia Paranaense de Energia (Copel), um doleiro e mais três réus (incluindo uma empresa) pela prática de ato de improbidade administrativa, no caso conhecido como "Copel-Olvepar".

Na nota à imprensa, o MP não nomina os réus, mas o então secretário da Fazenda (governo Jaime Lerner) e raIngo Henrique Hübert e o doleiro, Alberto Youssef.

Segundo o MP, o recurso de apelação foi interposto pelo MPPR contra a sentença de primeira instância, que havia absolvido os réus.

A ação judicial envolve, segundo o Ministério Público, ilicitudes no procedimento administrativo de restituição de créditos do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) em favor da empresa Olvepar S/A, no final de 2002.

Os réus receberam as penas previstas na Lei de Improbidade: suspensão dos direitos políticos (entre cinco e oito anos, conforme o réu, no caso das pessoas físicas) e proibição de contratar com o poder público durante cinco anos. Além disso, deverão ressarcir solidariamente os danos causados ao erário, de R$ 39,6 milhões (valor que deverá ainda ser acrescido de correção e juros de mora). Foram condenados também a pagar multa civil de 20% do valor atualizado do dano.

O caso

Em 2002, uma empresa que tinha crédito de R$ 15 milhões a receber da Óleos Vegetais Paraná S/A (Olvepar) aceitou como pagamento crédito de ICMS que tinha com o Estado do Paraná.

Embora o Tribunal de Justiça, em 2000, tenha reconhecido esse crédito como irregular, o governo paranaense autorizou, em 2002, o reconhecimento de créditos de ICMS no valor de R$ 67 milhões.

A Copel comprou então créditos de ICMS da Olvepar, com desconto, no montante de R$ 39,6 milhões. Esse dinheiro, afirma o MP, teria sido distribuído a pessoas do grupo político então no poder, por meio do doleiro (hoje réu da operação Lava Jato).

O valor total do prejuízo aos cofres públicos teria sido de R$ 84,6 milhões (os R$ 39,6 milhões pagos pela Copel, mais R$ 45 milhões referentes ao ICMS que a Olvepar deixou de pagar ao Estado).

Para quem quer conferir o acórdão: https://portal.tjpr.jus.br/jurisprudencia/j/12516040/Ac%C3%B3rd%C3%A3o-1482894-3#


Blog

Haddad encosta em Bolsonaro

Cuecas de seda (parte II)

Não há eleição ganha, diz Cida

Só em flagrante delito

Atrás do prejuízo

Endereço certo?

Arns atropela Richa

Dá-lhe Luisa!

Onde está o erro

Onde mora o perigo

Em pauta

Flyworld Jundiaí firma parceria com Faell Vasconcelos

TCP recebe super navio com capacidade para 11 mil TEUs

Turismo Pedagógico é nova aposta da Flyworld em Minas Gerais

Flyworld atrai mais de 300 candidatos a franqueados durante a feira da ABF

Turismo de aventura ganha adeptos e cresce no Brasil

Piracicaba ganha microfranquia da Flyworld Viagens

TCP e Brado Logística desenvolvem ações conjuntas com foco nos clientes

Flyworld indica os destinos mais românticos para casais apaixonados

Namorados devem gastar mais com presentes, diz Datacenso

Flyworld indica destinos para lua de mel no mês das noivas

Acesse também

Twitter - http://twitter.com/roseli_abrao

Facebook - http://www.facebook.com/blog.roseliabrao

RSS Feeds - http://roseliabrao.com/rss/

Coluna

Rossoni derruba sessão e irrita deputados

CEI do “xerox” não pode ser uma caça às bruxas

Erro do TRE dá sobrevida a Bernardo Carli

Ghignone aposta na vitória de Ducci

Beto não assume compromisso com emendas ao orçamento

Publicidade


Publicidade

A 1ª em aluguel de Livros com entrega em domicilio e Venda de Livros Usados em Curitiba

(41) 3367.2466 | 3367.3544


Publicidade

Soluções em Comunicação | Assessoria de Imprensa | Edição de Livros

(16) 99418.1551


Copyright © roseliabrao.com

Desenvolvido por: Sky Comunicação e Eventos - www.skycomunicacao.jor.br

Blog | Coluna | Em pauta | Roseli Abrão | Equipe | Contato | Topo do site