Email: Roseli Abrão

Blog: quarta-feira, 9 de maio de 2018

13:19:03

Copel-Ovepar

TJ condena réus

O Tribunal de Justiça acatou recurso do Ministério Público e condenou o ex-secretário de Estado da Fazenda na gestão 2000-2003 e ex-diretor-presidente da Companhia Paranaense de Energia (Copel), um doleiro e mais três réus (incluindo uma empresa) pela prática de ato de improbidade administrativa, no caso conhecido como "Copel-Olvepar".

Na nota à imprensa, o MP não nomina os réus, mas o então secretário da Fazenda (governo Jaime Lerner) e raIngo Henrique Hübert e o doleiro, Alberto Youssef.

Segundo o MP, o recurso de apelação foi interposto pelo MPPR contra a sentença de primeira instância, que havia absolvido os réus.

A ação judicial envolve, segundo o Ministério Público, ilicitudes no procedimento administrativo de restituição de créditos do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) em favor da empresa Olvepar S/A, no final de 2002.

Os réus receberam as penas previstas na Lei de Improbidade: suspensão dos direitos políticos (entre cinco e oito anos, conforme o réu, no caso das pessoas físicas) e proibição de contratar com o poder público durante cinco anos. Além disso, deverão ressarcir solidariamente os danos causados ao erário, de R$ 39,6 milhões (valor que deverá ainda ser acrescido de correção e juros de mora). Foram condenados também a pagar multa civil de 20% do valor atualizado do dano.

O caso

Em 2002, uma empresa que tinha crédito de R$ 15 milhões a receber da Óleos Vegetais Paraná S/A (Olvepar) aceitou como pagamento crédito de ICMS que tinha com o Estado do Paraná.

Embora o Tribunal de Justiça, em 2000, tenha reconhecido esse crédito como irregular, o governo paranaense autorizou, em 2002, o reconhecimento de créditos de ICMS no valor de R$ 67 milhões.

A Copel comprou então créditos de ICMS da Olvepar, com desconto, no montante de R$ 39,6 milhões. Esse dinheiro, afirma o MP, teria sido distribuído a pessoas do grupo político então no poder, por meio do doleiro (hoje réu da operação Lava Jato).

O valor total do prejuízo aos cofres públicos teria sido de R$ 84,6 milhões (os R$ 39,6 milhões pagos pela Copel, mais R$ 45 milhões referentes ao ICMS que a Olvepar deixou de pagar ao Estado).

Para quem quer conferir o acórdão: https://portal.tjpr.jus.br/jurisprudencia/j/12516040/Ac%C3%B3rd%C3%A3o-1482894-3#


Blog

Tarifa de ônibus sobe para R$ 4,50

Fruet tem propostas para novo tratado

Mais de 100 mil paranaenses podem perder titulo de eleitor

Anibelli assume Comissão de Agricultura

Em duas etapas

O time dos ex-deputados

PSD, PSB e PSL ficam com maior número de comissões

Ratinho vai aos EUA

Bebianno não mentiu...

Moro diz que “caixa 2” não é corrupção

Em pauta

TCP lidera movimentação de contêineres no Sul do Brasil

Marketing online é decisivo para sucesso de negócios em franquias

Flyworld inaugura terceira unidade no Rio Grande do Sul

TCP investe em 30 projetos ambientais em 2018

TCP finaliza obras de ampliação do cais de atracação

Flyworld participa da Black Friday 2018

Aracaju ganha primeira unidade Flyworld

Resort e Hotel fazenda são opções para a semana da criança

Casamento em cruzeiro é a nova tendência entre os casais

Flyworld Jundiaí firma parceria com Faell Vasconcelos

Acesse também

Twitter - http://twitter.com/roseli_abrao

Facebook - http://www.facebook.com/blog.roseliabrao

RSS Feeds - http://roseliabrao.com/rss/

Coluna

Rossoni derruba sessão e irrita deputados

CEI do “xerox” não pode ser uma caça às bruxas

Erro do TRE dá sobrevida a Bernardo Carli

Ghignone aposta na vitória de Ducci

Beto não assume compromisso com emendas ao orçamento

Publicidade


Publicidade

A 1ª em aluguel de Livros com entrega em domicilio e Venda de Livros Usados em Curitiba

(41) 3367.2466 | 3367.3544


Copyright © roseliabrao.com

Blog | Coluna | Em pauta | Roseli Abrão | Equipe | Contato | Topo do site