Uncategorized

Sob vara

O empresário Carlos Wizard será conduzido coercitivamente para depor na CPI da Civid, no Sando.

A decisão foi do ministro Luiz Roberto Barroso,, do Supremo Tribunal Federal.

A convocação de Wizard foi aprovada diante da suspeita de integrantes da comissão de que ele integre o “gabinete paralelo”, que teria assessorado o presidente Jair Bolsonaro em assuntos relacionados à pandemia.

O depoimento de Wizard à CPI estava marcado para a última quinta-feira, mas ele não compareceu.

Segundo a defesa do empresário, ele está nos Estados Unidos, acompanhando o tratamento de saúde de um familiar.

Segundo o G1, diante do não comparecimento, a CPI quebrou os sigilos, e o presidente da comissão, Omar Aziz (PSD-AM), pediu à Justiça a condução coercitiva e a retenção do passaporte do empresário.

A retenção já foi determinada pela Justiça Federal de Campinas.

1 Comentário
  1. luiz augusto juk 2 meses atrás
    Responder

    Que bom ter notícias sua. Parabéns. Você momento precisa de jornalistas do do seu gabarito.

Deixe um Comentário

O seu endereço de email não será publicado.

Você também pode gostar